Produção Passo-a-Passo

 

Consideramos nosso ciclo de produção como o ciclo da vida, onde tudo se inicia com a germinação e o cultivo (canavial). Com o desenvolvimento, extrai-se a pureza (moagem). Logo depois, agita-se e fermenta-se a vida (fermentação). Com o amadurecimento, destila-se sabedoria (destilação). Com o passar do tempo, é necessário envelhecer com qualidade (envelhecimento). Por fim, o ciclo se encerra em um recomeço (engarrafamento e envio).

 

Conheça o processo de produção da cachaça artesanal de alambique. Uma tradição secular, combinada a modernas técnicas de produção. 

Germinar e Cultivar
Canavial

 

A produção de cachaça de qualidade exige cuidados especiais relacionados à seleção da variedade e ao cultivo da cana-de-açúcar. Por isto, toda a cana-de-açúcar utilizada na produção de nossas cachaças é cultivada exclusivamente na Fazenda Sol Nascente.

 

A variedade selecionada oferece níveis de sacarose excelentes por sua adaptação ao clima e ao solo pertinente à região da lavoura, na cidade de Alterosa, Minas Gerais. Isto reduz, em grande parte, a utilização de adubos durante o processo de plantio e desenvolvimento da planta.

 

No período de maturação da cana, que ocorre no primeiro semestre do ano, iniciam-se as medições técnicas dos índices de sacarose para determinar o período de início do corte, que ocorre apenas quando a maturação ideal da planta é atingida. 

 

O corte é realizado de forma manual e não são realizadas queimadas, que trazem resíduos indesejáveis e tóxicos. Neste ponto são eliminadas as pontas da cana, que também afetam a qualidade do produto final.

 

Por fim, a cana é limpa, para que sejam retiradas quaisquer impurezas do solo e do ambiente ao redor, extraindo-se um caldo mais límpido e puro.

Extrair a Pureza
Moagem

 

Para a extração de um caldo (garapa) de melhor qualidade, a cana-de-açúcar é moída no período máximo de 12 horas após seu corte.

 

A moenda deve ser ajustada para extrair um nível adequado de garapa, para que não ocorra sobre extração e nem desperdício do caldo.

 

Logo após a moagem, há um estágio de pré-limpeza da garapa, onde são retiradas todas as impurezas maiores, como restos de cana.

 

Posteriormente, a garapa é decantada. Neste estágio, são retiradas quaisquer impurezas menores que ainda restam no caldo, como partículas de cana ou resíduos de pó.

 

Logo após, a garapa é pré-aquecida, para estimular sua posterior fermentação.

 

Desta forma, obtém-se uma garapa fresca e límpida, ideal para uma fermentação saudável e de qualidade.

Fermentar a Vida
Fermentação

 

Nas dornas de fermentação, além da garapa, é utilizado o fermento (leveduras) de cepas selecionadas para que proporcionem um processo fermentativo saudável, natural e alta qualidade. 

 

Para se atingir o vigor fermentativo, são utilizadas técnicas naturais para a padronização do mosto, como adição lenta de água, em filete, para a correção do nível de sacarose da cana, não enfraquecendo nem sobrecarregando a atividade das leveduras.

 

Durante o processo de fermentação, as leveduras se alimentam da sacarose da cana, liberando gás carbônico e etanol.

 

Este mosto fica em repouso sob condições especiais de temperatura e oxigenação, em média, pelo período de 24 horas, até que atinja o ponto correto para a destilação, quando é chamado de "vinho".

 

Destilar Sabedoria
Destilação

 

A alquimia da cachaça acontece no processo de destilação. É um processo que exige técnica, paciência e principalmente experiência do mestre alambiqueiro para se obter uma cachaça de qualidade superior.

 

Para isto, é utilizado um alambique de cobre, de pequeno porte, aquecido lentamente em fornalha à lenha, o que proporciona uma melhor qualidade à cachaça, pois o maior contato do vinho com as paredes do alambique e o fogo tranquilo da fornalha (90º) favorece a formação de aromas e sabores diferenciados, não encontrados em outros métodos de produção e, desta forma, não são carregadas substâncias indesejáveis ao destilado.

 

Durante o processo de destilação, o início (cabeça) e o fim (cauda) do destilado são rigorosamente separados da parcela de excelência (coração).

 

Porém, para a produção de nossas cachaças, é utilizada somente a parcela que cunhamos de "alma": o interior do coração.

 

Para isto, utilizamos métodos de medição do grau alcoólico e temperaturas de ebulição dos componentes, destilados lentamente, para uma separação eficaz das parcelas durante o processo.

 

Ambos (início e fim) contêm teores alcoólicos e substâncias prejudiciais que afetam negativamente a qualidade final do produto, sendo descartados.

 

Por fim, aproveita-se em torno de 60% do destilado, a parte nobre, a alma, com excelência sensorial e que será levada ao armazenamento nos barris de madeira para envelhecimento.

Envelhecer com Qualidade
Envelhecimento

 

A cachaça nova (recém-destilada) apresenta coloração branca (incolor), paladar e aroma ligeiramente mais agressivos, porém de excelente qualidade.

 

O processo de envelhecimento em barris de madeira suaviza estas características e acrescenta novos compostos que enriquecem seu sabor e aroma, tornando seu perfil sensorial mais complexo.

 

A adega de envelhecimento é um ambiente favorável à maturação da bebida, deixando seu perfil mais refinado e agradável. Ou seja, possui altura favorável, é rebaixada em relação ao solo e coberta com telhas de barro, contribuindo para uma umidade relativa ideal, temperaturas mais amenas, além de reduzir a perda por evaporação.

 

Existem inúmeras madeiras disponíveis para o envelhecimento da cachaça. Porém, utilizamos apenas duas madeiras em nossa adega, por serem madeiras nobres e que trazem excelentes características para o destilado:

 

- Carvalho: madeira importada que agrega aroma e sabores únicos e dá coloração dourada à cachaça.

 

- Jequitibá-rosa: madeira brasileira que suaviza a cachaça e mantém sua coloração original inalterada.

 

O padrão de maturação, ou envelhecimento, é calculado pelo tempo de envelhecimento, pela madeira, tamanho do barril e seus níveis de extração. Desta forma, conseguimos obter cachaças com perfis de sabor e aroma diferenciados, de acordo a maturação definida para cada produto.

 

Todos os barris são identificados com a safra na qual a cachaça foi produzida e o período pelo qual deverá ficar em maturação, garantindo uma identidade única mantida ao longo do tempo.

Recomeçar com Excelência
Engarrafamento e envio

 

Logo após ser retirado dos barris de envelhecimento, o lote padronizado de cachaça passa por um processo de filtração para que sejam eliminadas quaisquer partículas ou compostos remanescentes do período de envelhecimento.

 

Este estágio é muito imporante, pois o excesso ou a falta de filtros podem comprometer todo o período de envelhecimento anterior, removendo características adquiridas por anos de envelhecimento.

 

Após engarrafada e tampada, a cachaça recebe um lacre externo, para que a área da tampa não tenha contato com o ambiente, tornando-a mais higiênica e segura.

 

Finalmente, é rotulada manualmente e acondicionada em caixas para transporte.

 

Inicia-se, neste ponto, um novo ciclo do produto, onde deixa a unidade fabril (alambique) e segue rumo aos consumidores que buscam não apenas uma cachaça, mas uma experiência diferenciada e inesquecível.